• ABREMI

Sobre Mineração em Terras Indígenas - Relatório Reuters.

Atualizado: Jun 27


Ao denunciar detalhadamente a institucionalização do garimpo ilegal na Amazônia e seus malefícios, a Agência Reuters colabora para demonstração a importância e urgência da regularização da exploração de recursos minerais (e também hídricos e orgânicos) em Reservas Indígenas, objeto do Projeto de Lei 191/2020.

Além da razão de estar previsto na Constituição de 1988, a ABREMI o defende com veemência por entender que a mineração profissional e regularmente autorizada é a atividade menos danosa para a geração de riquezas na Amazônia. E isto se deve ao fato de que é a atividade que mais gera empregos, tributos e renda por hectare impactados que são mínimos. E que, por ser uma atividade passageira, possibilita o aproveitamento das riquezas do subsolo, o apoio às comunidades locais e o desenvolvimento regional durante sua existência e a reposição integral do meio ambiente ao ser corretamente encerrada.

NO exemplo da foto acima demonstra o loteamento dos direitos minerais na Terra Ianomani é evidente. São concessões proibidas por Lei que se perenizam com apoio de maus políticos. Uma imagem que expõem um negócio nefasto: o megapedágio do acesso aos garimpos em detrimento da sanidade indígena, da preservação ambiental, da distribuição das riquezas roubadas aos brasileiros e a fragilização geopolítica de nossas fronteiras, pois seu noroeste é hoje reduto dos remanescentes das FARCs colombianas acolhidos pela Venezuela.

Acesse ao relatório integral clicando na imagem ou no linK: https://graphics.reuters.com/BRAZIL-INDIGENOUS/MINING/rlgvdllonvo/



56 visualizações
logo abremi negativo placeholder-01.png